Rafael Botelho vence na festa de Bruno Amaral

DSC06667

Rafael Botelho e Marco Macedo (Skoda Fabia R5) venceram a primeira edição do Play/AutoAçoreana Rali, prova integrada no recém-criado Play/AutoAçoreana Trophy. O piloto fez uma prova em crescendo, na estreia do Skoda Fabia R5 da estrutura da The Racing Factory, tendo assumido a liderança da prova no final da secção da manhã de sábado deste rali.

 

Mas o vitorioso nas contas do Play/AutoAçoreana Trophy foi mesmo Bruno Amaral, que se fez acompanhar neste rali por Rui Medeiros, ao volante de um Mitsubishi Lancer Evo VIII, fazendo uma prova inteligente e beneficiando do abandono de Pedro Câmara e João Câmara, que viu ceder uma transmissão do Lancer Evo IV a meio de Pico da Pedra 2, deitando por terra uma possível primeira vitória. Foi Bruno Amaral a estar no sítio certo à hora certa para levar a melhor, no que diz respeito ao Trophy Absoluto, mas também ao Trophy Equipas.

 

Rui Borges e André Ventura (Mitsubishi Lancer Evo VIII) lograram concluir a prova no terceiro posto absoluto, sendo segundos entre os concorrentes ao Play/AutoAçoreana Trophy, numa prova em que Borges aproveitou para rodar com vista a uma potencial participação no Azores Rallye.

 

Gilberto Ferreira e Manuel Lemos levaram o Ford Escort Cosworth ao lugar mais baixo do pódio no que diz respeito ao Play/AutoAçoreana Trophy não se livrando a dupla de um susto, ao ver a mecânica do Ford Escort Cosworth comprometer um andamento mais rápido e uma prova mais descansada.

 

Pedro Ferreira e Pedro Castro (Citroen Saxo Cup) foram os melhores ‘duas rodas motrizes’ que, apesar de inexistência nesta competição dessa categoria, é uma marca que dá sempre gosto de atingir. O piloto que esteve afastado da competição durante cinco anos, regressou para vencer a classe 2.

 

Hugo Alcântara e André Alcântara fizeram o que lhes competia, quando não estavam a lutar contra o Citroen Saxo Cup. O piloto também regressado ao ativo brilhou na estrada quando não estava a lutar contra um qualquer percalço e balanceou a sua prestação como um bom avaliar do estado de carro e equipa.

 

Adalberto Correia e Tomás Vultão (Toyota Rav4) concluíram o rali no sétimo posto final vencendo a classe 13, numa prova em que o piloto começou acusando falta de confiança para depois tirar melhor proveito do conjunto.

 

ÚItimos, mas não menos importantes na classificação geral, foram Mateus Bettencourt e Fernando Jorge que ainda levaram de vencida a classe 10. Mateus Bettencourt ainda somou a melhor pontuação no Trophy Iniciados.

 

Por classes, Rafael Botelho venceu a classe 16, Bruno Amaral, a classe 7, Adalberto Correia, a classe 13, Pedro Ferreira, a classe 2 e Mateus Bettencourt, a classe 10.

 

Uma palavra ainda para os que lograram não terminar este rali. José Paula/Nelson Coelho (Peugeot 208 T16 R5) começou esta manhã com o ‘pé-esquerdo’ tripulando o seu carro com uns travões ineficazes, o que o levou a abandonar. Pedro e João Câmara (Mitsubishi Lancer Evo IV) até estavam na liderança do rali, no que diz respeito ao Trophy, mas a cedência de uma transmissão em Pico da Pedra 2, fizeram-lhes ‘atirar a toalha ao chão’.Marco Soares e Fernando Nunes (Citroen Saxo Cup) vieram também a abandonar com avaria mecânica no seu carro. Diogo Pereira/Philip Pontes (Citroen Saxo Cup) e Paul Barbosa/Dimas Barbosa (Peugeot 205) ficaram igualmente pelo caminho, por avaria mecânica.

 

O Play/AutoAçoreana Trophy prossegue dentro de um mês com a realização do 55.º Azores Rallye, que pontuará igualmente para o campeonato europeu, português e açoriano da modalidade.

 

CLASSIFICAÇÃO GERAL APÓS PROVA ESPECIAL

P N Equipa Acum Dif 1.º
1 1  Rafael Botelho/Marco Macedo 41:34,4 -
2 4  Bruno Amaral/Rui Medeiros 44:31,4 +2:57,0
3 5  Rui Borges/André Ventura 45:28,5 +3:54,1
4 9  Gilberto Ferreira/Manuel Lemos 48:29,6 +6:55,2
5 11  Pedro Ferreira/Pedro Castro 50:44,7 +9:10,3
6 8  Hugo Alcântara/ André Alcântara 52:13,8 +10:39,4
7 10  Adalberto Correia/Tomás Vultão 52:44,7 +11:10,3
8 15  Mateus Bettencourt/Fernando Jorge 1:17:33,3 +35:58,9